segunda-feira, 30 de maio de 2016

DOR DE AMOR ou O DIA SEGUINTE

Cabelos desalinhados,
Olheiras profundas,
Boca seca.
Uma forte dor de cabeça!

Lembranças ...

Whisky ... Martini ...
Quantos?
Whisky ou Martini?
As azeitonas foram muitas!
Os Martini?
Com gelo?
Muitas pedras!
Mas o Whisky?
Os copos? Vários!
Garçom? Apenas um!

A noite? Uma, somente uma!
Horas?
Eram ...22 h!
Depois ... 3h!

Mas o garçom era o mesmo!
O Whisky?  Era o mesmo!
As doses? Essas não contei!
E os Martini? Brancos ou doces?
Alguns!
As taças eram lindas!
E as azeitonas verdes!
As luzes do bar coloridas!
As garrafas brilhavam!
Música?
Sim, havia uma voz ... um piano ...
Essa dor de cabeça ...

Essas olheiras ...
A boca seca!
Foram as azeitonas!
E os Whisky? E os Martini?
Não sei ... vários
Não contei ...
E a noite ... apenas uma!
E o amor?
Não sei!
Igual as azeitonas!
Sobrou apenas o caroço!
Ah! Essa dor de cabeça!
O garçom foi o mesmo!
Fiel até a última dose.
E os Martini? E os Whisky?

Ah! Essas olheiras!
Essa boca seca!

Essa dor de amor ...

Edison Borba

OS GUARDIÕES FAMILIARES



Vocês já observaram que em toda família existe sempre um guardião ou guardiã. É aquele tio ou tia, primo ou prima, sobrinho ou sobrinha e entre os filhos aquele que se destaca como o mais atento para “arrumar” a casa quando acontece algum tipo de problema.

A genética já vem analisando esses indivíduos que possuem em seu genoma, algum tipo de orientação bioquímica para ser o guardião ou guardiã do grupo. Os filósofos e espiritualistas colocam a situação na alma ou espírito e os psicólogos os caracterizam como os de personalidade mais “forte” ou mais equilibrados.

Deixando de lado a origem desta qualidade, o importante é que eles existem, é só pensarmos na nossa família e vamos encontra-los, sempre presentes nas horas difíceis ou nos momentos de alegria, ajudando tratar de um doente ou a organizar uma festa.

Agradeçamos a Deus por colocar em nossos grupos familiares esses “anjos” que estão sempre prontos a serem nossos guardiões ou guardiãs.

Edison Borba

NÃO SOU HERÓI!


Não sou herói!
 
Vivo com meus defeitos
Luto contra meus preconceitos
Que me corroem as entranhas
Não sou herói!
Vivo garimpando qualidades
Que surgem em mim
De forma efêmera

Não sou herói!
Vou da paz ao turbilhão
Do amor ao ódio
Na rapidez de um raio

Não sou herói!
Adoeço
Não sou imune
Meu corpo sofre

Não sou herói!
Eu viro a mesa
Grito
Sou apenas um homem
Que erra o caminho
Que se perde no tempo
Que pede perdão

Não sou herói!
Tenho medos
Penso tolices
Sofro com minha insônia

Não sou herói!
Sou apenas um cara
Que ainda não sabe amar
Mas sabe esperar
Por alguém,
Que “curta” viver com bravura
E que, na sua loucura
Não veja a minha criatura
E sendo assim, podemos “ficar”
E quem sabe um dia
Eu aprenda a amar!

Edison Borba

domingo, 29 de maio de 2016

MANTRAS


 

Os mantras têm o objetivo de relaxar e induzir a um estado de meditação de quem o canta ou fala e de quem escuta. São palavras ou ditos que funcionam como um instrumento do pensamento.

Quando eu era criança, minha mãe não permitia que eu e meus irmãos pronunciássemos algumas palavras, que ela acreditava, não faziam bem ao nosso Lar. Não pensem que eram palavrões, isto é, palavras de baixo calão, não! Eram outras palavras que não ouso escrevê-las aqui, pois são termos pesados e só trazem maus fluídos para a nossa vida.

Mantras, eu os considero interessantes, mas independentemente deles; o nosso dia a dia deve ser preenchido com obrigado, por favor, com licença, eu creio, eu tenho fé, Deus é comigo, Jesus é o meu Pastor, eu te amo, eu amo a natureza, eu amo minha família, eu respeito os meus semelhantes e tudo que me envolve, porém não só repetir como papagaio, é preciso sentir dentro do coração e fazer com que o cérebro aceite e FAÇA!

Eu creio em Deus que me dá forças! Eu posso mudar meus pensamentos e mudar minha vida! Eu conseguirei tudo aquilo que for meu por direito!

Boa sorte a todos!

Edison Borba

QUE DEUS NOS ABENÇOE!

Benção pai! Deus te abençoe meu filho!
Benção mãe! Deu te abençoe meu filho!

Quantas vezes esta cena se repetiu em minha vida
E foram bênçãos dos avós, dos tios e dos amigos
Todos eram mães, pais e tios e os “mais” velhos eram avôs e avós
Quanta honra! Fui abençoado por muita gente amiga
Mães e pais de todas as cores, credos e crenças

Benção tia Dora mãe de Adélia!
Benção tia Maria mãe do Gerson!
Benção tio Dionísio pai do Valdir e da Léa!

Benção Dona Maria, mãe de todas as crianças do bairro de Inhaúma!

Hoje, sou eu que peço a benção de Deus para meus sobrinhos
E também para os filhos, sobrinhos e netos dos meus amigos
E principalmente para todos os meus alunos
Crianças e jovens que vir crescer e ajudei a viver
Em especial, uma benção para o Davis, aluno guerreiro
Como tantos outros e outras do CEJK e dos mais diversos
colégios em que trabalhei

Que sejam abençoados onde quer que estejam!

Deus esteja com vocês!

Edison Borba

RODA DE SAMBA - RODA DAS SAIAS


É na roda do vestido da baiana que o mundo gira
É na barra da saia feminina que a minha cabeça roda
É na roda de samba que eu danço, ela gira e o mundo balança
É no balanço dos quadris dessa menina que meus pensamentos
                                       se embolam

É na palma da mão que eu tenho ritmo, bato palmas pra saracotear
É no som da cuíca que todos vibram, dançam e cantam pra valer
É no compasso do zabumba, que danço samba e até rumba
E eu rodo, nas barras rendadas das morenas, mulatas e negras
É na sandália das loirinhas que sapateio, rodopio como num rodeio
É num mar feminino de sereias que me transformo em peixe e vou nadar
É no happy, no soul, no funk e axé que eu vou sambar até me cansar
Rodam as baianas, as cariocas, as gaúchas, as paraenses e as goianenses
Rodem suas saias rendadas, rodopiem e dancem nos terreiros

Fazendo valer a força e a garra de todos os brasileiros!

Edison Borba

sábado, 28 de maio de 2016

EDUCAÇÃO MASCULINA x ESTUPRO

 
Em meu livro "COMPLEXO DE VIÚVA", página 60, publicado em 2013, pela Editora All Print, escrevi uma crônica "EDUCAÇÃO MASCULINA", na qual coloco em discussão a questão: educação familiar. Todos nós sabemos que o Brasil é um país machista e que numa grande maioria de lares, neste momento estão sendo diplomados futuros espancadores, violentadores e estupradores de mulheres. Pais e mães, através de suas ações permitem e apoiam seus filhos (homens) a
um tipo de comportamento, para que eles, não sejam considerados “mariquinhas”. A cultura machista está enraizada na sociedade brasileira em todas as classes sociais.
Em 2015, em meu livro "ALMA FEMININA", também publicado pela All Print, faço diversas denúncias sobre o FEMINICÍDIO no Brasil, informo sobre Delegacias e ONGS que fazem um excelente papel de ajuda às mulheres. Este livro foi escrito em homenagem à Senhora Maria da Penha, símbolo da luta pelos direitos da mulher.
Em meu blog, há várias denúncias sobre estupro, incluindo os que acontecem no Campus da Universidade Rural do RJ.
Estou fazendo esta divulgação do meu trabalho, porque acredito que estamos vivendo um sério momento que envolve à segurança das mulheres brasileiras.
No momento em que a sociedade se mostra perplexa em relação ao estupro de uma jovem por 33 monstros, imaginemos 33 mulheres sendo violentadas, algumas por seus pais, padrastros, tios, avós e maridos além dos maníacos que circulam pela sociedade independentemente de classe social e de informação cultural, no momento em que você está lendo este texto.
É hora da sociedade parar de se omitir e dar um basta nesta triste situação brasileira!
Edison Borba

QUANDO ELA CHEGAR ...



Quando ela chegar de mansinho

Sem fazer ruídos

Sem se fazer notar

Fingirei não perceber sua presença

Vou até assobiar, como se fosse um pássaro a cantar

Não vou chorar, nem me queixar de solidão

Vou fingir ternura e brandura

Vou lembrar das horas de alegria

Nem pensar em nostalgia

Vou demonstrar meu total desprendimento

Só para ela sentir o quanto eu a desprezo

O quanto eu a renego

Mas, pronto estou para seguir seu norte

Caminharei lada a lado, com a não mais temida morte.

Edison Borba

sexta-feira, 27 de maio de 2016

ESTUPRO COLETIVO




 
FATO: o Brasil, mais especificamente o Rio de Janeiro, está vivendo um drama Indiano. Lamentavelmente uma jovem de dezesseis anos foi violentada por vários “monstros” num ritual macabro que nem pode ser comparado à era das cavernas. E para tornar o fato mais horripilante e animalesco, o crime foi filmado e distribuído através da internet.
REFLEXÃO: não observamos nenhum movimento de perplexidade, nenhuma manifestação, nenhum ato de revolta como os que surgiram para “defender” o Ministério da Cultura.
DÚVIDA: o que está acontecendo com o Brasil?
Edison Borba
 
 
 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

CALENDÁRIOS

Os dias foram escorregando do calendário
Um a um sendo substituídos
Janeiro, março, agosto, dezembro
Mudaram as estações do ano
Flores, calor, frutas e frio
Alegrias, tristezas, saudade e amor
Era primavera quando nos encontramos
Uma linda roseira assistiu ao nosso primeiro olhar
Era setembro e o ar estava impregnado de perfume

Quando percebemos, o verão havia chegado e nós estávamos

                      passeando pela praia

Calor forte. Sol a pino. Nossos pés deixando marcas na areia
No calendário os dias iam se sucedendo. As páginas viradas
Admirados ficamos, quando vimos o chão coberto de folhas amareladas
Era outono de novo ...
Sabores. Frutas. Delícias.
Dias e dias embalados pelas brisa suavemente fria, típica da estação
No céu, a lua mudava de face. Às vezes redonda, quase um queijo

Nessas noites deixávamos que seu brilho iluminasse nossos corpos
Mais dias. Novas noites. O tempo passando. O calendário mudando
Os relógios, como fiéis guardiões, cuidavam das nossas horas
Sem que pudéssemos perceber, o inverno chegou
Noites frias. Chuvas fortes. Dias cinzentos
E o calendário, mudando sem nos perguntar se queríamos o tempo parar
Acordei sozinho. Fazia frio e o meu corpo estava gelado
Um bilhete sobre a cama

Espere por mim na próxima primavera ...

Edison Borba

MÁQUINAS PARADAS!!!


 
No Brasil, as máquinas estão parando, a produção caindo e trabalhadores perdendo suas ocupações. Nunca tantos desempregados vagaram pelas cidades brasileiras buscando novas oportunidades para se ocuparem. São homens e mulheres humilhados que buscam um tratamento condizente com a sua capacidade de produção. Há necessidade urgente de abertura de novas vagas de trabalho, mas quando e como isto irá acontecer?

Enquanto isso, uma turba enlouquecida tenta provar que no Brasil tudo vai muito bem, obrigado! Tento entender o que está acontecendo com a capacidade de algumas pessoas para reconhecer que o modelo de governo ao qual estávamos submetidos fracassou. É hora de se tentar novos caminhos. Infelizmente uma onda de irresponsabilidade só faz aumentar o prejuízo do País cujas finanças estão à beira da morte.

Máquinas paradas, braços cruzados, trabalhadores humilhados, enquanto isso os bandeiras vermelha continuam acenando para que continuemos a caminhar para o mergulho fatal no fundo de um abismo.

Uma grande tragédia!

Edison Borba

GERAÇÕES DO SAMBA!


É samba de terreiro é samba de raça
É samba de graça de alegrar gerações
Ações geradas de mãe para filha
É orgulho da cor e do amor ancestral
Minha pátria querida, mãe África aguerrida
Que gerou mulheres guerreiras sambistas
Leci Brandão e Jovelina, Elza Soares e Elizeth Cardoso
E outras cantoras de samba na veia
Orgulhosas brasileiras, operárias das canções
Que passam de geração a geração
Seu amor pela arte, bordadeiras das canções
Dona Ivone Lara e Nilze Carvalho
Juntas no palco das tradições
Provocando emoções e orgulhando a massa
Que se inebria ao sabor das vozes, imemoriais
Das negras cantoras, todas imortais!

A benção MÃE ÁFRICA!

Edison Borba

BOMBOM ( dedicado aos chocólatras)


Como é bom comer bombom
Branco ou marrom
Com recheio ou sem recheio

É MUITO BOM COMER BOMBOM!

Sentir o sabor do chocolate
Saborear cada pedaço
Usar todos os sentidos
Namorar um bombom, é muito bom ...
Olhar a sua embalagem e imaginar
O seu conteúdo, sentir seu aroma
E degusta-lo “devagarzinho”

COMO É BOM COMER BOMBOM!

Sozinho ou acompanhado
Por amizade ou enamorado
Os de licor, são inebriantes
Os sem recheio são clássicos
Os crocantes, tentadores
Os de frutas, dietéticos
Mas todos são bem vindos
O simples olhar para uma caixa de bombons
É extasiante !!!
Imagina-la só nossa, somente nossa, é enlouquecedor!

COMO É BOM COMER BOMBOM!

No verão derretem-se em nossas mãos
Deixando marcas nos dedos
Ah! Lamber os restinhos de chocolate
Ou beijar os lábios que ainda guardam o sabor de um bombom
Hum! Delicioso demais!
É MUITO BOM COMER BOMBOM!!!

Edison Borba

quarta-feira, 25 de maio de 2016

CULTURA – ABRINDO ARQUIVOS.


 

Houve tempos, em que diversos atores e atrizes, promoviam durante as suas temporadas, sessões gratuitas ou a preços reduzidíssimos para professores e alunos da rede pública. Lembro-me de ter visto com meus alunos: “Um Violinista no Telhado”: “O Santo e Porca”; “Apareceu a Margarida”; “O Auto da Compadecida”; “A Filha da ...” entre outros espetáculos.

A grande Dama do Teatro, Marília Pera, foi uma das pessoas que propiciou a mim e a vários colegas e alunos o prazer de ir a um teatro. Em 2002, no Shopping da Gávea, eu e diversos alunos do Colégio Estadual Júlia Kubitschek, tivemos a honra de sermos recebidos por Marília que dirigia a peça “A Filha da ...”

Não posso afirmar se a Lei Rouanet já estava em vigor nos tempos do “Violinista no Telhado” no Teatro João Caetano (antes da reforma) e também dos outros espetáculos que vivi com meus alunos, mas que havia incentivo pelo teatro dentro das escolas eu posso afirmar.

Quais, entres estes atores e atrizes / cantores e cantoras, que estão fazendo alarde, já abriram espaço para crianças e adolescentes, alunos das escolas públicas pudessem ter o prazer de ter contato com a TAL CULTURA, que eles tanto defendem? Será que o que eles estão DEFENDENDO são os altos financiamentos recebidos? Por que além dos REAIS do povo, eles ainda cobram ingressos com preços ABSURDOS para o bolso do trabalhador?

ALGUÉM PODE ME EXPLICAR???

Edison Borba / Professor

FAMÍLIA, PRESENTE DE DEUS!


 
Como é bom ter família

Pai, mãe, irmãos e avós

Todos juntos, somos NÓS!

Nada de viver em “ilha”

Precisamos de família!

Amigos também são bem vindos

Ajudam o amor aumentar

Quanto mais gente unida

Melhor o mundo vai ficar!

Edison Borba

terça-feira, 24 de maio de 2016

TROFÉU IMPRENSA –NOVA LEITURA


 

Pela segunda vez escrevo sobre o Troféu Imprensa, 2016, programa do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), lembrando de novo que admiro a emissora do Senhor Silvio Santos e a forma com que ele conduz este tipo de premiação.

Não tenho conhecimento da maneira pela qual os nomes dos finalistas chegam à mesa dos jurados, o que o público entende claramente é que entre os três melhores, eles devem indicar apenas um, através de voto falado e nem sempre justificado.

O Rio de Janeiro, possui mais de um canal de televisão, e em todos são realizados programas jornalísticos, em algumas emissoras  são realizados programas de auditório e existem atores e atrizes atuando, pelo menos em três canais que exibem novelas brasileiras.

O que me fez voltar a escrever sobre este tema, é perceber que os jurados do Troféu Imprensa, tendem a premiar apenas um canal de televisão, com raríssimas exceções. A cada ano que assisto ao programa do SBT, Troféu Imprensa, antecipadamente eu já sei o resultado.

Por que os jurados são tão tendenciosos?

Será que esta dúvida é apenas minha?

Edison Borba

AMAR É SER CAFONA

Me chamaram de cafona
Antiquado e coisa e tal
Bobo, tolo e muito mais
O que essa gente não sabe
Que amar é ser feliz
É ficar bobo, dar vexame
Mandar flores, fazer versos
Exagerar nos gestos
Declamar, fazer seresta
Transformando tudo em festa
Mandar cartinhas e mimos
Presentinhos baratinhos
Tudo muito cafoninha
Pois quem ama exagera, se joga no chão
Faz que chora

Se enamora das rosas
Acha o mundo sempre azul
Quem está enamorado
Aquele que tem um amor
Fica doido de saudade, vira poeta e delira
Sofre a cada partida, faz que morre, sente dor
Faz drama no telefone
Chora olhando uma foto
Derramando tantas lágrimas
Que comove os que não sabem
Que essa tragédia toda
Faz parte de um arte
De sofrer por um amor
Mesmo que não haja dor
Pelo prazer de sofrer
Exagerar no ardor, no calor da relação
Que para sobreviver precisa de emoção!

Edison Borba

TROFEU IMPRENSA – “AS REGRAS DO JOGO”



O SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), da família Abravanel, mantém no ar há muitos anos o TROFEU IMPRENSA, uma maneira de divulgar e premiar os melhores trabalhos das emissoras de televisão no Brasil.

Gosto de assistir o julgamento dos indicados e observar o quanto ainda estamos longe de uma “verdade” na escolha dos vencedores. Creio que esta situação se repete em todos os lugares onde haja premiações, porque é sempre difícil para os seres humanos “julgarem” com isenção de sentimentos. Este ano, a novela “Verdades e Mentiras” foi apontada pelos Jurados como a melhor de 2105, contrariando todos que acompanharam os noticiários e os que votaram pela Internet indicando Os Dez Mandamentos, da Rede Record, como superior ao desenvolvido pela Globo.

Não poderia ter havido pior erro do que este. Em 2015, até os mais distraídos se ligaram na novela Bíblica. A situação só não foi mais constrangedora pela compensação na hora do melhor ator, que deu o prêmio a Guilherme Winter.

Outra observação, apenas para constar, no feminino, prevalece a indicação das atrizes da Rede Globo de Televisão. Por que?

Apesar do Silvio Santos, cuidar do Troféu Imprensa com carinho, os jornalistas ainda votam com medo de desagradar e com isso perderem espaço no concorrido mundo da mídia.

São as “regras do jogo”!

Edison Borba

ACHANDO A SAÍDA

Se faz calor, uso roupas leves
Se o frio chegou, eu visto casaco
Se o amor foi embora, eu arrumo outro
Se tenho trabalho, vou me alegrar

Porque tenho sonhos para realizar
Guardando um pouquinho, eu vou chegar lá
Se os políticos são maus, eu vou repensar
No voto que eu dei
Eu vou é lutar para modificar
Se me acomodo
Envelheço! Esqueço! E me aborreço!
Procuro achar a fórmula mágica, para acertar
Enquanto procuro não me acomodo
Buscando saídas, eu vou enfrentando

E dessa forma, usando a tal fórmula
As horas passam, os dias escorrem
Os meses mudam, os anos seguem
E eu vou vivendo, buscando e aprendendo
Realizando meus sonhos
Crescendo e crescendo
Vivendo e amando
Sem parar “pra” chorar, e nem reclamar
Me acomodar? Nem pensar!
Eu quero é viver!!!
E aproveitar, o bom que a vida
Tem, para me ofertar!!!

Edison Borba

segunda-feira, 23 de maio de 2016

A ERA DE AQUARIUS.



De repente um filme, um protesto mal sucedido, algumas cusparadas, o fechamento de um Ministério e as máscaras do teatro se revelaram. Alguns homens e mulheres, até então respeitados pelo povo, revelaram seus interesses pessoais.

Felizmente para os brasileiros que estão atentos aos acontecimentos e infelizmente para a classe “artística” revelaram-se segredos de bastidores. Fantásticas quantias liberadas pelo Ministério da “Cultura” para financiar espetáculos de pouquíssima importância cultural, e para tornar o fato mais constrangedor, ao ser exibido, cobrou do povo um exorbitante preço pelo ingresso.

As linhas tortas, com as quais Deus escreve certo, desta vez foi de excelência, pois um fato que passaria desapercebido pelo povo trabalhador, tornou-se evidente pelas próprias mãos dos artistas, que ao fazerem “arte” invadindo espaços, dando declarações descabidas e até cuspindo para o alto explodiu como uma bomba de milhões de reais.

Uma pena! Gente que até então era vista pelo povo como guardiã dos bons costumes, deixou cair a máscara. E agora José?

Vamos recolher os ingressos, devolver o dinheiro ao público, e ensaiar um novo espetáculo, porque para este, a plateia ficou vazia!

Cai o pano! As cortinas se fecham! E o palhaço chora!

Edison Borba

domingo, 22 de maio de 2016

A DITADURA QUE AINDA EXISTE EM NÓS!


 
O período político ditatorial acabou no Brasil, mas ainda existe em nossos sentimentos uma ditadura difícil de arrancar. Os medos, as raivas, as mágoas e feridas mal cicatrizadas estão causando muito mal ao País. Terrorismo nunca mais, parece que é apenas uma frase e não um sentimento. O povo amadureceu, cresceu, leu, se informou e dificilmente um governo ditatorial se implantara novamente aqui abaixo da Linha do Equador. A História brasileira deixa claro que esta situação, não conseguirá voltar. Porém existe um grupo de pessoas que insiste em “forçar uma barra” de SOFRÊNCIA, martirizando-se para conquistar a piedade e os votos.
CHEGA! Eu também tenho marcas, mas elas são minhas. Fui estudante da Universidade do Brasil no início dos anos sessenta e sei o que foi aquele período. Apenas para informação, participei do enterro do estudante Edson, morto no restaurante do Calabouço, onde eu também fazia minhas refeições e pertencia ao Diretório Acadêmico.
CHEGA! Estamos no ano de 2016, do século XXI, esses fatos têm importância histórica, porém usá-los para que uma população pouco informada tente renascer os anos sessenta é simplesmente desonesto. A democracia brasileira, apesar de ainda jovem não retroagirá jamais. Os falsos heróis e heroínas que ainda tentam se impor através dos seus possíveis sofrimentos, precisam amadurecer e perceber que um lutador quando vai à luta vai sabendo dos riscos que o esperam.
CHEGA! Não dá mais para aguentar “coitadinhos” que se dizem “torturados” e portanto podem agir livremente, desrespeitando leis, regras e ordem.
CHEGA! Dívida maior, temos com a população negra brasileira que ainda sofre discriminação, num País de homens e mulheres que defendem (????) o Brasil passeando em Paris!
CHEGA! É hora de todos trabalharem para a reconstrução deste País que está à beira de se desintegrar. Somos ou não somos brasileiros?
CHEGA de partidarismos enlouquecidos!
CHEGA!!!!
Edison Borba

ESPERANÇA


Os dias são tão longos
As horas intermináveis
Os momentos infinitos
Esperar pelo que não é possível saber
Esperar pelo que não é possível medir
Esperar pelo imponderável
Pelo imperceptível
Esperar pela espera de esperar
Esperança ...
Apenas para viver
Quando nem o prazer nos dá prazer
Mas é preciso viver!
É a lei ...
É universal!
Até quando?
Espere ... espere para ver
Agora, a espera pode fazer sentido
Esperar pelo que não se quer encontrar
Mas só assim, a espera se transforma em esperança
Que se fortalece pela longa espera
E ajuda a viver enquanto se espera!
 
 
Edison Borba

ARTE, CULTURA E OUTRAS REFLEXÕES


 

Creio que está havendo uma grande confusão com a questão do Ministério da Cultura. O fechamento de um órgão que NÃO estava funcionando adequadamente, NÃO significa que está havendo uma caça às ARTES. Infelizmente, desde que este Ministério foi criado, o que mais aconteceu foram financiamentos de grupos, de “panelinhas” e de “conchavos”. Muitos projetos bons, de qualidade que concorreram aos benefícios da Lei Houanet, não foram atendidos.

Creio que se continuarmos a ceder às “Sonias Bragas” da vida, tudo vai ficar como antes, vamos dançar e cantar ao som do Bloco da Preta Gil, enquanto escolas não recebem nenhum incentivo para produzir movimentos culturais, literários e artísticos. A união dos dois Ministérios: Cultura e Educação, poderia melhorar às condições de trabalho de vários Docentes que lutam sozinhos para desenvolver em suas Unidades de Ensino, atividades artísticas e culturais.

Uma pena que os “cuspidores” continuem a exercer um poder tão grande que conseguem ofuscar até os mais estudiosos e trabalhadores, que realmente lutam por uma educação e cultura deste tão lindo BRASIL.

QUE PENA!!!

Edison Borba – Professor / Educador / Coordenador de Projetos de Ciências que nunca foram beneficiados pela Lei Houanet, pois sempre afirmavam que ciência não é cultura.

CONSTRUINDO SONHOS

Construir sonhos ou construir em sonhos

Não importa, desde que não se trabalhe sozinho

Quando a busca do caminho é feita a dois

Tudo fica mais fácil, mesmo quando fica pra “depois”

Estar junto, pensar e sonhar não importa se o castelo é de ouro ou de areia, ele será o mais lindo, o mais perfeito, pois foi eleito por dois corações.

Sonhar junto, pensar junto, seguir junto e até tropeçar, quando se tem alguém para apoiar, a queda fica mais fácil de suportar.

E assim deveriam ser as parcerias, sempre juntos para o que der e vier

Na alegria e na dor, na riqueza e na pobreza

Se assim fosse, o mundo seria uma só beleza!!!

Edison Borba

 

sábado, 21 de maio de 2016

LÁGRIMAS



Pelo rosto da jovem mulher uma lágrima deslizava.

Seu amor a abandonou diante do altar

Ainda vestida de branco a noiva ainda chorava.

No rosto de outra mulher uma lágrima também escorria

Sozinha num quarto sombrio, as roupas do filho escolhia

Para vesti-lo, pela última vez, no caixão

Ela sozinha chorava a sua grande solidão

Duas mulheres sofrendo, por perdas irreparáveis

A noiva foi enganada, chorou pelo amor perdido

Talvez quem sabe um dia, ela encontre outro alguém

Que possa a levar ao altar,

E finalmente seu sonho, ela irá realizar

A outra lágrima escorrida, não tem como compensar

O filho está perdido, nunca mais irá voltar

Só ficarão as lembranças e uma enorme saudade


Uma ferida no peito, que nunca irá cicatrizar.

Edison Borba